A experimentação como ofício:
a gravura contemporânea de

JOÃO ATANÁSIO


Na gravura produzida hoje no Brasil poucos são os artistas efetivamente comprometidos como desdobramento de questões relativas à linguagem gráfica. A obra gráfica de João Atanásio que vem se construindo há
duas décadas de trabalho no campo de experimentação se inscreve nesse restrito segmento de nossa produção em gravura.
A sintaxe gráfica de Atanásio incorpora distintas técnicas e materiais para tratar das possibilidades visuais da metamorfose - síntese dos processos de diferenciação e repetição. A diversidade de processos e resultados marca essa obra gráfica singular que se afirma conseqüente no quadro contemporâneo da produção brasileira em gravura.
Expressão dessa singularidade e coerência são as Placas de Petri utensílios científicos utilizados para a realização de culturas de micro organismos contendo gravuras cujas imagens derivam de um mundo micro-orgânico agora acessível a olho nu.
Esses trabalhos contidos em Placas de Petri que aqui atuam como caixa, lente e moldura incorporam diversas técnicas gráficas e modos de 'intervenção sobre o papel. São também testemunho desse empenho experimental as gravuras / módulo que, a partir de 4 imagens básicas é vários processos de impressão compõem um amplo painel de gravuras singulares. A multiplicidade de processos e resultados desse trabalho gráfico experimental fica ainda mais evidente quando o convencional coabita a inovação tal como nas suas gravuras sobre papel parafinado e cesinado com aspecto de pergaminho ancestral.
A obra gráfica se faz contemporânea a partir de uma vitalidade experimental que se recusa a associar a gravura como uma técnica controlada e como uma sintaxe rígida e assentada. Trata-se, sem dúvida, de uma obra que torna a gravura contemporânea brasileira digna de sua história.

George kornis, 2005

HOME Biografia Gravura Instalação Contato